2 de novembro de 2016

RESENHA: A Garota do Calendário: Janeiro - Audrey Carlan (A Garota do Calendário #1)

A Garota do Calendário: Janeiro - Audrey Carlan

Melhor do que esperado. Fazia algum tempo que eu estava curiosa com esse livro. Quando vi o título pela primeira vez achei que seria mais sexo que qualquer outra coisa, Mas depois, vendo o fuzuê por aí, lendo realmente a sinopse e tal, pareceu mais promissor.

Mia Saunders é uma jovem que anseia se tornar atriz mas precisa deixar esses planos de lado quando o pai passa dis limites com seu vício em jogos. Ele é espancado pelos capangas do agiota e Mia recebe um aviso. Da próxima vez ele será morto e a dívida passa para ela e para irmã. A dívida? 1 milhão de dólares.

Sem saída ela aceita a oferta da tia de entrar para a agência de acompanhantes de luxo que ela comanda, com a ajuda dessa mulher ela poderá pagar a dívida em um ano e ainda sobrará dinheiro para pagar a faculdade da irmã. Uma proposta, definitivamente, tentadora.

E ainda tem mais, os clientes são gatos e se quiserem sexo, pagam 20% a mais. 

O primeiro cliente é de cara a perfeição m forma de homem. Wes é jovem, bonito, muito rico, um roteirista de sucesso em hollywood. Ele poderia ter qualquer mulher aos seus pés, mas mesmo assim precisa pagar por uma.

A razão eu achei muito plausível. Original. O fato de eles acabarem formando um casal de revista também é interessante. Ambos impõem regras para aquilo dar certo. É inegável que se sentem atraídos um pelo outro e que em algum momento eles iam ceder, mas não há aquele clichê dos romances do gênero de que os dois se apaixonam em tempo recorde.

Eles gostam da companhia um do outro, são compatíveis na cama, se satisfazem. Sabem o que querem do outro e o que esperar. É fácil. É crível. A única coisa que me incomodou foi que ele esteve mesmo disposto a jogar tudo para alto no final do período deles. E amei o fato de que, apesar de se sentir tentada, de saber que se continuasse ao lado dele se apaixonaria, ela se atém aoseu plano original.

Wes poderia muito bem pagar a dívida do pai dela. Mas o que isso representaria para ela? Como esse assunto seria visto pelos dois depois de um tempo? E se não durasse? Com todas essas variáveis ela faz o certo para ela naquele momento. Segue sua vida longe de Wes. Já temos o cenário de fevereiro, agora resta saber se vai continuar sendo original ou se cairemos em clichês.

Nenhum comentário:

Postar um comentário