9 de novembro de 2016

RESENHA: The Fake Boyfriend Experiment - Stephanie Rowe (Once Upon an Ending #1)

The Fake Boyfriend Experiment - Stephanie Rowe


Primeiro capítulo: Blah. O restante: Weeee.

Acabou que a sinopse foi à altura da diversão que o livro entrega. A princípio não achei que conseguiria terminar a leitura, mas depois que a Lily conhece de fato o Rafe as coisas melhoram.

Lily Gardner é uma adolescente que foi treinada a vida toda para ser uma pianista clássica, porém ela não sente mais a paixão, a vontade de tocar. Sua professora repete dezenas de vezes por dia como ela é fracasso.

Rafe é um garoto de 16 anos, com carro, tatuagem e atitude. Um perfeito badboy para quem vê de fora. Não é a toa que Lily cai de amores por ele logo de cara.

Ela é muito atrapalhada e tentando ser uma adolescente normal acaba se enrolando em pequenas mentiras e levam a outras e culminam em desastre. Não tem como não rir com as encrencas que ela se mete. Até porque em determinado momento o seguinte cenário de arma: Para Rafe, o baterista gato de tatuagem, ela namora um jogador de  futebol. E Les, o jogador de futebol, só se interessa por ela porque acha que ela namora o Rafe.

Uma das coisas que contribui mais para o sucesso da leitura é que não tem como não se identificar com ela. Talvez não hoje em dia, mas relembrar os tempos de escola e as coisas que a gente acaba fazendo / arrumando foi divertido. Seja com a personagem ou com alguma situação que é apresentada, as amigas, os pais, as brigas, o garoto lindo, as garotas lindas que sempre parecem ter mais sucesso que você.

Ela vai se descobrindo em parte sozinha e em parte por causa de Rafe. Ele a ajuda tanto que ela fica mais confusa ainda. Sera que ele gosta de mim? Talvez. Não. Ele tem namorada, Mas talvez goste. Talvez não. Ela tem conversas com si mesma como toda adolescente nesse momento crítico que é a primeira paixão e a antecipação do primeiro beijo.

Aliás, isso dá um toque de leveza ao livro. É tudo tão subjetivo. São adolescentes. Tem suas reações irritantes mas elas são bem dosadas e permeadas por momentos engraçados, conversas de amigas, garotos sendo garotos. E um pouquinho só de assunto sério. Tudo bem delineado.

Não sei se foi algo desse livro ou se é uma característica da autora, mas o primeiro capítulo quase matou o livro. Que é bem bom. Boa pedida para quem quer desanuviar ou para quem tem adolescentes em casa. 14 / 15 anos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário