16 de dezembro de 2015

RESENHA: Almas Divididas - Gabriella Poole (Darke Academy #3)

Almas Divididas - Gabriella Poole


Um final de trilogia que excedeu minhas expectativas iniciais. O primeiro livro me causou um estranhamento antes de me acostumar com esse universo, o segundo foi relativamente interessante apesar da demorar para engrenar. Já o terceiro tem uma história bem interessante e bem montada.

A tradução e a edição pecaram. Muitos erros grotescos de tradução e vários erros de digitação, letras repetidas. No último terço do livro chegava a ter 2 ou 3 erros em uma única página. A história ainda bem se mostrou intrigante o suficiente para continuar. Caso contrário teria sido abandonado como tantos outros.

Cassie está mais centrada nesse volume. Acho que o fato de Ranjit não participar diretamente nessa parte da história contribuiu para que ela fosse mais sensata. Isabella está insuportável. Tudo bem que o namorado deu um fora e tal, mas é exagerada a reação dela. Os ataques de ciúmes porque Cassie está tentando se enturmar com os Escolhidos é patética.

Alguns dos outros escolhidos voltam a aparecer com mais frequência aqui, gostei dessa decisão. Entre eles há alguns personagens bem legais. Deu para visualizar melhor quem eles são e como funciona o grupo de Escolhidos.

Istambul foi mais explorada que Nova Iorque. Mas de maneira mais inteligente que Pais. Aqui o constante retorno aos locais da cidade não são apenas decoração, todos tem um porque que cedo ou tarde é revelado na trama.

Apesar de todos os pontos positivos não foi uma leitura que me fez grudar nas páginas. Lia cerca de 2 ou 3 capítulos por vez e não encontrei problemas para para a leitura quando necessário. Mas isso não é reflexo de falta de coisas interessantes. 

Enfim, é uma trilogia boa mas não tem perfil best-seller. Muitos leitores de fim de semana não teriam paciência para lê-los. Eu diria que pode ser uma boa opção de leitura de cabeceira para antes de dormir. Ler um ou dois capítulos antes de apagar as luzes, mas não uma opção para salas de espera intermináveis de médicos.

5 de dezembro de 2015

RESENHA: Gone - Lisa McMann (Dream Catcher, #3)

Gone - Lisa McMann


Ótimo fechamento. Nenhum grande desapontamento nesse fim de trilogia. Ao contrário de outras leituras recentes, os acontecimentos de Gone são um tanto previsíveis. Porém são aceitáveis, tem sentido.

Aqui Janie se vê dividida entre usar seu dom para ajudar os outros e acabar como a Srta. Stubin ou isolar-se do mundo e afastar-se de Cabe. Ela cria estar com a decisão tomada até que seu pai entra na jogada.

Só fiquei com pena de a autora deixar para o final certas coisas, já que para quem se questionou tanto por dois livros, ter epifanias em 200 páginas pareceu apressado.

Gostaria também que ela tivesse explorado mais os sonhos tanto da mãe quanto do pai. É uma opinião pessoal. Teria sido interessante conhecer um pouco mais esses dois personagens, a mãe principalmente que era vista pela J como uma vilã egoísta. Fiquei com a impressão de que havia muito mais por trás do alcoolismo dela.

Cabe ficou menos grudento, deu espaço a nossa protagonista. Achei inesperada essa mudança mas bem-vinda. Já a capitã que dizia tanto que iria esperar a resposta de Janie sem pressa se tornou insistente. Pressionando de maneira disfarçada.

A leitura segue o mesmo ritmo dos livros anteriores apenas com a presença maior de sonhos mais longos e mais frequentes enquanto a garota tenta decidir o que vai fazer com sua vida. Achei curioso o fato de que ela não percebe que mesmo que ela não fosse uma apanhadora de sonhos o futuro é um grande dilema. Ninguém pode afirmar se x ou y vai acontecer e mesmo que aconteça talvez não seja exatamente como imaginado. 



2 de dezembro de 2015

RESENHA: Laços de Sangue - Gabriella Poole (Darke Academy #2)

Laços de Sangue - Gabriella Poole

Bem interessante. O início é meio devagar se comparado aos acontecimentos finais do primeiro volume. Algumas 'promessas' não se cumprem, mas o desenrolar acaba sendo tão bem bolado quanto.

A academia desembarca dessa vez em NOVA IORQUE. Novamente não há sequer uma menção à tarefas escolares, só uma outra passagem dentro de sala, mas praticamente zero de interação professor-aluno. O que é engraçado já que é uma escola de ponta com inúmeros ex-alunos notáveis 'Ex-escolhidos' ou não.

Esperava mais do romance de Ranjit e Cassie. A reticência inicial dele poderia ter sido explorada. Para algo com as implicações que foram deixadas nas últimas páginas, faltou explicação, faltou problematizar esse resultado. Senti como se a autora tivesse decidido desde o início que isso aconteceria mas não soube bolar alguma coisa que se encaixasse na história, deixando essa explicação para o fim da trilogia. O que só serviu para me deixar mais curiosa ainda sobre quem é o espírito que Ranjit carrega.

As vilãs são as mesmas, mas estão mais caricatas que nunca. Foi meio exagerado certas descrições. Quase beirando a comicidade. Um tanto desnecessário. Sir Alric quase não aparece e ao mesmo tempo é responsável por muito dos acontecimentos decisivos. Jake e Isabella que tão importantes foram no livro 1, se tornaram coadjuvantes aqui. Mesmo com papeis tão importantes no enredo. Me senti como se lendo um diário ou depoimento onde só temos a visão de uma pessoa.

Nesse livro eles passeiam menos. Mas a futilidade dos passeios é a mesma. Quase tudo acontece há uma distância de poucas quadras, e NY é uma cidade tão grande que poderia ter sido melhor aproveitada. No geral é uma história interessante, mas o título não se explica de fato em nenhuma das páginas. O que garante a continuidade da leitura são pequenos momentos. São os vislumbres do que pode acontecer mais pra frente mesmo que o atualmente narrado seja vago. Termina como se faltasse algo.