29 de abril de 2015

RESENHA: Estilhaça-me - Tahereh Mafi (Shatter Me #1)

LV 04/2015

Estilhaça-me - Tahereh Mafi


Ela pode matar. Mas me salvou. Me salvou de uma ressaca literária que já vinha de estendendo por 2 meses. Uma bela distopia para quem curte o gênero.

Juliette assim como sua xará de Grimm é chata. Sério, ela não é a protagonista mais cativante que já tive contato, mas creio que se deva ao falto de trato social da mesma.

Adam é daqueles que parecem bons demais para serem verdade. Não confio nele, continuo acreditando que ele esconde alguma coisa, ainda mais do que o que já foi revelado acerca dele. 

Warner é o vilão, mas mesmo assim eu gosto mais dele com a Juliette que o Adam. Tipo, garota, larga o bonzinho e junte-se ao mauzinho. Todo mundo que ela gosta eu desgosto e vice-versa. Se fosse na vida real eu a odiaria. Seria aquela garota que senta do outro lado da sala de aula. Os outros personagens da trama, por vezes parecem não ter propósito, mas aos poucos eles de encaixam na história. É um enredo gostoso, do tipo que flui com facilidade e a leitura se torna agradável. 

Algo que incomodou a outros leitores me agradou muito. Os riscados.  Me identifiquei com isso, quem passa muito tempo consigo mesmo sabe como é isso, e é o recurso perfeito para demonstrar  na escrita esse processo esquisito que ocorre em cérebros esquisitos como o meu que não param nem um minuto e às vezes pensam duas coisas ao mesmo tempo. Gostei mesmo, vou roubar a ideia. No início do livro esse recurso é mais usado mas justamente por ela estar sozinha, ela e ela mesma. Não há um segundo personagem para haver uma troca de ideias. As 'locações'. São bem definidas e descritas. Há uma certa dose de ação que dá mais veracidade ao caráter caótico do mundo distópico de Juliette.

Não sei se foi o modo como a autora desenvolve o enredo ou se foi apenas a história por si só mas não notei nenhum capítulo cansativo ou enchedor de linguiça. Há um começo, meio e fim; uma sensação de fechamento de ideias que e agrada muito. Quando peguei o livro e vi que tinham 50 capítulos fiquei receosa por se tratarem de 304 páginas. não gosto de capítulos grandes mas também não curto livros com capítulos relâmpago. Mas não é o que acontece aqui, eles tem a medida certa para loucos como eu que só conseguem parar a leitura no fim de capítulos.





21 de abril de 2015

RESENHA: Luxo - Anna Godbersen (Luxo #1)


DESAFIO LITERÁRIO DO SKOOB 2015
Pega na Mentira! 04/12

Luxo - Anna Godbersen

Achei confuso no início. Muitos personagens sendo introduzidos de uma só vez.  Porém aos poucos vamos conhecendo-os e as coisas engrenam. Foi uma grata surpresa. Quero muito ler a continuação e fiquei muito contente de saber que o livro 3 já foi lançado no Brasil também. São 4 ao todo.

Todos são vilões e todos são mocinhos, mas não se engane, não dá pra sentir pena de ninguém. Como a narrativa  é flutuante, cada hora um personagem narra em primeira pessoa, não há aquela sensação de personagem principal.

E claro, fazendo jus ao desafio, é mentira, enganação, intriga para todo lado. Ninguém é sincero nesse livro. A menina perfeita, sonho de consumo de pais de solteiros, tem segredos sórdidos, a empregada esconde coisas, a nova-rica vanguardista esconde coisas, os moçoilos da história, todos sem exceção também tem segredos.

A autora nos dá vislumbres desses segredos ao longo dos capítulos e só com o passar das páginas é que conseguimos encaixá-los corretamente e ver o verdadeiro papel (ou não) de cada segredo na imagem maior.

Achei interessante como o livro não tem final. Não tem. Nem mesmo um falso final. É como se estivesse faltando capítulos, mas creio que essa sensação de incompleto é o que fez com que eu gostasse tanto e quisesse correr para continuar a leitura com o segundo.

Outro ponto que gostei foi os recadinhos e notas que abrem os capítulos, eles te dão uma direção acerca do que vai acontecer mesmo que mais para frente nos deparemos com um desenrolar totalmente inesperado. Talvez eu esteja perdendo meu feeling. Muitos livros tem me surpreendido nos últimos tempos.

Meu personagem preferido até então é Diana. Mas não sei se isso vai durar. Fui do amor ao ódio e vice-versa bem rápido com outros personagens no decorrer da leitura. Super recomendo.